sexta-feira, 6 de janeiro de 2012


Em um mundo onde o sentido das nossas vidas é determinado e imposto por toda essa mentalidade determinista moderna do pensar. A moral vigente não é mais questionada e a intolerância chega ao extremo em nosso co-existir no mundo. Muitas pessoas perdem o sentido da sua existência se jogando num abismo terrível e sem volta. E não questiono, digo seriamente que toda essa ação para acabar com a Cracolândia já está fadada ao fracasso, essas pessoas não têm com o que sonhar, não foram aceitos bem antes, o crack vem depois. Temos que tratar com honestidade o sentido que estamos dando para esse mundo. Novas Lândias vão aparecer e novos hábitos e substâncias estão brotando a cada momento.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Sensações


Na sensação do acolher

Não se deve prender

Momentos são para compartilhar

Para juntos chegar

.

Num estado acolhedor

Um momento preenchido

Esse não é perdido

E sim percorrido

.

Um brotar recíproco

Desvelado, veratizado

Num plural mágico

De um mundo trágico

.

O caminhar de um olhar

Que na fala desprendida

Ao ser acolhida

O belo é ser sentida

quarta-feira, 23 de março de 2011

Quatro Mil Versos


em versos já falei

sonhei, sangrei

sangue, sangue sujo

brusco, tenso, belo e confuso

.

lágrimas soltei

pensei, não sei

.

O saber imediato

perdi contato

em pé

um quatro?

.

atento até ouvi

e mil lágrimas perdi

um milagre?

Ou pleno desastre?

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Terça-Feira

Horrorizado, assim sinto perante situações que infelizmente afeta minha mente. Quando se espera “cuidado” de pessoas que só vêem o seu lado. Individualismo, burrice e falta de afeto não quero mais por perto.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Poema


Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo
Hoje eu acordei com medo mas não chorei
Nem reclamei abrigo
Do escuro eu via um infinito sem presente
Passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim, que não tem fim
De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua
Que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio mas também bonito
Porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás

By Cazuza

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Modificação do Sentimento do Espaço


"São as coisas verdadeiras ou as coisas imaginarias que mais contribuíram para a felicidade humana? O que é certo é que a distância existente entre a maior felicidade e a mais profunda infelicidade somente assumiu toda a sua amplitude com o auxílio das coisas imaginadas. Por conseguinte, esta espécie de sentimento do espaço, sob a influência da ciência, se torna sempre maior: da mesma maneira que a ciência nos ensinou e nos ensina ainda a ver a terra como pequena e o todo siatema solar como um ponto."

Nietzsche

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

O outro lado da Rua

Um dia atravessei a rua

Com a alma cheia de ternura

Não pensei no que acharia

Mas sei o que encontrei

Um fruto que nunca desejei

Não era a Tabacaria!

.

Desgraça e transformação

É um lado sem reflexão

Deixei de existir

Um clímax rotineiro

Um fato grosseiro

Quero voltar a sorrir

.

A rua devo voltar a atravessar

Um novo caminho a trilhar

Parar e olhar, tentar acordar

Minha alma

Será que pode voltar?

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Noite


A noite não é boa
.
A Noite não é mal
.
É impulso primitivo
.
É nosso grito primal
.
.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Uma Manhã

Acordo e parece que tem um muro em cima de minhas costas. Vou ao trabalho, entrevisto mais de 40 pessoas. E após terminar, penso e repenso. As pessoas não sabem o que realmente querem, o que buscam, vejo um vazio nos olhos das pessoas que são preenchidos com qualquer merda que lhe apreça atraente no momento.
...
Cada dia que passa vejo o mundo como uma máquina como Aldous Huxley já ilustrou em seus escritos. O que me deixa realmente em um estado de angustia existencial semipermanente.
...
O brilho foi-se
Quando chegou a coice
E falou
É isso é a verdade, é isso e pronto
...
Quero mais espaço
Mas, quanto mais tenho
Mais me embaraço
Já não sei o que eu faço
Fecho os olhos e relaxo?
Ou simplesmente te dou um abraço?

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Levado


Um Pensamento solto, livre

Veio uma brisa e o deslocou
Rodou, até se perder com o vento

Designo de São Pedro?
Que veio e apontou o dedo!
E veio a chuva, porra de chuva
Podre e desnuda

O solto, livre
Pensou que achou seu lugar
Mas não sabe se instalar
Gosto de Ventos leves
Tempestade ofegante
Penso em instantes
Que morrem a cada instante

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Um Dia Cinza

Quando criança escutava

Hoje eu penso, e repenso

...

Tantas e tantas coisas faladas

Gritadas e sussurradas

Sonhadas com sabor

Serviram?

...

Heidegger deu a luz

Poder de Maquinação

Não tenho mais a De-cisão

Só quero entender minha função

Mas em um mundo sem direção?

...

Dói repartir

Sangra guardar

Pobre de quem, ainda pensa que sabe sonhar?



sábado, 29 de maio de 2010

Tarde


sabe-se muita coisa
eu...
não sei nada

fala-se
sobre tudo
eu...
sempre mudo

o mundo em minhas mãos
já foi minha ilusão
angustia edificante
que perdeu-se em um instante

O grito foi calado
o meu sonho
foi forjado

domingo, 23 de maio de 2010

Modi

Medo, inquietação

Um grande fanfarrão

Anseios com desejos

Um luar sem um gracejo

.

O que soube fazer

Foi rápido e com prazer

Um olho um olhar

Uma alma para lembrar



sábado, 20 de março de 2010

as vezes tenho surtos que se baseiam em: "penso penso penso, logo penso mais um pouco e nada faço" e depois "faço faço faço faço faço, sem pensar em tudo que eu pensei pensei pensei em não fazer"

quinta-feira, 18 de março de 2010


O charme da história e sua lição enigmática consiste no fato de que,de tempos em tempos,nada muda e mesmo assim tudo é completamente diferente. ( Aldous Huxley )

quinta-feira, 11 de março de 2010

auto-crítica

e o poeta percebeu
que naquela altura da vida
tudo que escrevia
era autobiografia
pulou de sua janela
e, então, morreu

Por Gabriel Tarragô
http://omundoemminhasteclas.blogspot.com

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

O nascer de um desejo


O desejo mais puro,
nasce no escuro.
Na encosta do abismo
Ali onde o nada é tudo

Flore com toda a sua beleza
Como o cair de uma pétala,
sob o caminhar lento de um córrego
que a leva na direção de uma queda
Aquela que une e lança
Que só o existir encanta

Quero sair desse mar turbulento,
não mais me contento.
Andei a te procurar
Por um momento, fiquei desatento
Cheguei à queda, mas não houve união
Um tempo em vão, uma doce desilusão

Não quero mais perder o fôlego
Estou saindo do mar
Águas calmas eu quero me deparar
Quando te encontrar, não vai me escapar

sábado, 23 de janeiro de 2010

Hedwig And The Angry Inch

video

Umas das coisas mais lindas e originais que escutei nos últimos anos foi a trilha sonora do filme Hedwig And The Angry Inch (Hedwig – Rock, Amor e Traição, é o titulo em português). Quem me conhece sabe que sempre estou indicando esse filme. Queria deixar registrado aqui no Blog também. Estou disponibilizando o vídeo de umas das músicas que compõem o filme Origin Of Love. Fica a dica.




quinta-feira, 21 de janeiro de 2010


"O amor começa quando uma pessoa se sente só e termina quando uma pessoa deseja estar só."

Leon Tolstói

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Poema dos T´s


Deixei coisas para Trás
Atravessei obstáculos
Já perdi a vontade
E não encontrei a verdade


Quero atravessar a rua
Conhecer a tabacaria
Será que bastaria?
Penso tantas coisas

Não sei onde achar
Nem o que procurar
Quero conquistar
Sonhar com a conquista
É muito simplista